quarta-feira, 22 de junho de 2011

Um Olhar Diferente



          Não são poucas as situações em que, num primeiro instante, ainda meio atordoado com tudo, fazemos um julgamento não coerente com nossos próprios princípios. Quantas vezes ao ouvir uma música pela segunda vez, você acabou gostando dela? Quantas pessoas aparentaram ser antipáticas num primeiro momento, mas com o passar dos dias se mostraram verdadeiras amigas? Quantos objetos ou ideias você considerou totalmente inúteis num primeiro olhar, mas depois de alguns minutos de atenção descobriu verdadeiras pérolas?
         Pois é, a vida nos prega verdadeiras peças que nem sempre as entendemos, isso, quando as percebemos, claro. As vezes, nós gays ficamos tão envolvidos com a mobilização contra discriminação e homofobia que acabamos não gostando e mesmo criticando tudo aquilo que aborda este tema sem o nosso ponto de vista que geralmente, é abordagem do preconceito, a ridicularização, a exclusão, as montanhas que temos que escalar para termos iguais oportunidades, e acabamos não curtindo ou aproveitando bons momentos que são possíveis, que são reais e que podem acontecer, afinal, tudo é possível, só depende do tamanho do sonho.
          Bem, mas porque estou redigindo toda esta ladainha? O fato é que, cansado de tantos cálculos na faculdade, tanto números, problemas, lógicas, estruturas, enfim, resolvi procurar um filme para relaxar um pouco, como estava com pouca paciência e com poucas opções de escolha, baixei o filme brasileiro “Do Começo ao Fim” que já havia assistido a algum tempo, e não havia gostado nada do que vi nos 90 minutos do filme, exceto os dois atores claro kkk.
          Fui para casa, tomei um bom banho, preparei meu jantar, e fui assistir ao filme, não me lembrava muito do desenrolar da história, nem fiz questão de lembrar, apenas certifiquei-me de me desarmar de qualquer preconceito referente ao filme e ao cinema nacional, do qual não sou o maior fã. Não há muito o que dizer, julgo que o filme fala por si só, a mim, rendeu apenas dois poemas em uma única noite, aquela maldita trilha sonora que não sai mais da minha cabeça, e olha que ha tempos não escrevo com tamanha velocidade, com as palavras se atropelando em minha mente mal dando conta de digitá-las no teclado, comendo vírgulas, saltando pontos, tudo para não perder a ideias que vinha sem economizar na velocidade, ufa...!
          Enfim a ficha caiu, ficamos tão imersos em nossa realidade particular, dos olhares atravessados, das piadas de mal gosto, ou melhor sem gosto nenhum, das ironias, que acabamos por desconsiderar qualquer realidade onde isso não faça parte. Desta vez, vi um filme que não havia visto da primeira vez, apesar de ser as mesmas imagens, vi uma realidade onde, as ideias dos outros, o preconceito da sociedade, as ironias alheias, eram jogadas pela janela, não faziam a menor diferença, o que importava era o que sentiam um pelo outro, “eles sentiam”, e somente eles tinham aptidão e o direito de julgar o que sentiam um pelo outro, vi uma realidade onde um sentimento falou mais alto, na presença e na ausência, na vida casual e profissional, na companhia e na solidão, vi algo com o qual creio sonhar, um amor de fato, porém, como menciono em um dos poemas frutos desta noite, não creio que haja palavra capaz de tal descrição, enfim, vi algo diferente do que vejo todos os dias, brigas, discussões banais e fúteis, ciumes doentios, separações, traições, enfim, saí de minha minha própria realidade, e permiti-me vislumbrar uma realidade almejada, qui zá um dia alcançada!

6 comentários:

  1. Olá Amigo!

    Que bom vê-lo bem de saúde. Ainda bem que conseguiu vencer a luta a favor de sua saúde!
    Gostei muito do seu texto, bem escrito e de uma estirpe elevada.
    O mais importante é valorizar o ser humano, independentemente do mundo em que ele vive, pois cada um é livre para a sua escolha. Enfim, devemos colocar o nosso amor acima de tudo, principalmente sabendo que o amor reside em nós mesmos.
    Obrigado sua companhia entre os nossos blogs. É uma honra receber as palavras do nobre amigo.
    Um Grande Abraço!

    ResponderExcluir
  2. Ooiii...tdo bom?
    Huum aqui acabamos de entrar no inverno..hahsuha
    queroo soool, caloooor! kkkkkkkk =P
    booa postagem a suua! ^^
    abraçauum..bom feriiadoo! ")

    ResponderExcluir
  3. Para os puros todas as coisas são puras. O olhar!
    Beijos,
    Carla

    ResponderExcluir
  4. Olá garoto
    Gostei do filme da primeira que vi. Não tenho preconceito contra o cinema nacional, aliás , já vi bons filmes brasileiros. Ando de saco meio cheio com essa questão de homofobia, está criando uma paranóia coletiva, que não é bom.
    Quanto o ser gay, sou um privilegiado, nunca tive problema de aceitação nem minha , nem de minha família. O resto pra mim é o resto.
    Bjão

    ResponderExcluir
  5. Seria bom que a sociedade revisse seus valores. Acho que as pessoas não são bichos para serem deixadas de lado por terem uma opção sexual diferente do restante da situação. Eu sou hetero e respeito muito as pessoas que gostam de outras do mesmo sexo. Não é problema, é solução desde que exista o amor.
    Um grande abraço, forte texto!

    ResponderExcluir
  6. Eu achei esse filme lindo e já o citei em meu blog. Precisamos enxergar a beleza do sentimento que brota entre eles (sem fazer muitos julgamentos do certo e do errado). Eles se permitem amar e isso é o maior feito. Linda semana. Abraços.

    ResponderExcluir

Related Posts with Thumbnails