sábado, 27 de novembro de 2010

Semana de Cão


A vida é mesmo irônica. Dia desses descobri um site de roupas íntimas, dei uma olhadinha, sabem, sou ficcionado em cuecas, tecidos diferentes, texturas, cores, as vermelhas me excitam tanto, rsrsrs, fetiches à parte, comprei algumas na “nova lua”, em poucos dias chegaram, olhei bem uma a uma, e as guardei.

Ontem, dois colegas de trabalho, os dois mais gatos, combinaram de ir tomar umas “devassas”, me chamaram, disse que só poderia depois da faculdade, sem problemas, responderam, na última vez que fomos saímos de lá já passava de meia noite.
Já na faculdade, a professora do segundo horário liberou os alunos mais cedo devido a greve dos ônibus da cidade, ao que pensei, bendita greve (apenas 50% da frota está circulando), fui logo para casa (consegui embarcar em 5 minutos), tomei aquele banho, não agüento mais este calor, e, de toalha no quarto, peguei as cuecas novas e fui escolher uma, peguei uma preta, bem máscula, (até parece kkk), uma bermuda de tactel branca com umas listras coloridas, uma camiseta branca, um gel no cabelo rebelde que me deixa irado, e fui para o ponto de ônibus novamente.
Lá cheguei exatamente as 10 da noite, um dos gatos já tinha me ligado para saber onde eu estava, deu 10:15, 10:20, deu 10:40, quando foi 11:00 horas liguei para eles e desmarquei, to no ponto ainda, se eu pagar táxi pra ir e voltar, fico sem beber uma “devassa” e depois daquela aula de cálculo 3, funções de várias variáveis, derivadas duplas, momento, centro gravitacional, nem na terra eu estava mais.
Por fim, voltei para casa, maldita greve. Passada a raiva, ouvi uma “vozinha” (diminutivo de voz) no meu ouvido, “aproveite o tempo para estudar”. Pensei, talvez tenha sido melhor, afinal faz duas semanas que estou numa semana de cão, e isso só vai terminar daqui a duas semanas, ai é férias.

Meus queridos, peço desculpa pela ausência, mas prometo que assim que terminar este período tumultuado de provas de final de semestre eu volto a ativa. Beijos.

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

SOS UTILIDADE PÚBLICA

NO RIO DE JANEIRO...


Jovem baleado após Parada Gay depõe no Rio; Exército diz que vai colaborar


O estudante de 19 anos baleado ontem durante após a Parada Gay no Rio prestou depoimento na tarde desta segunda-feira, na 14ª Delegacia Policial. Ele contou à polícia que estava namorando no parque Garota de Ipanema, no Arpoador, quando foi abordado por três militares com farda do Exército.
Segundo o jovem, havia cerca de 15 pessoas no local, todos homossexuais, que foram repreendidos e humilhados pelos militares. 'Eles disseram que, se pudessem, matariam todos', diz.
O jovem disse que um dos oficiais o empurrou, e ele caiu. Quando estava no chão, segundo o estudante, o militar atirou na sua barriga com uma pistola. O crime aconteceu por volta da meia-noite deste domingo (14).
O rapaz foi levado para o hospital Miguel Couto e, como o tiro não atingiu nenhum órgão, foi liberado no final da manhã desta segunda-feira.
Após seu depoimento, oficiais do Comando Militar do Leste estiveram na delegacia para dizer que irão colaborar com as investigações. Segundo eles, o Exército já abriu uma sindicância interna para apurar o fato.



EM SÃO PAULO...

Adolescentes acusados de agressão são estudantes de classe média

"Estão todos chorando. Não são marginais", diz mãe de jovem. Grupo teria usado lâmpadas fluorescentes para agredir na av. Paulista



Até chorei, a fala da mãe de um dos agressores é tão comovente!


domingo, 14 de novembro de 2010

Renascer

Olá meus queridos amigos, estou com muita saudade. Digamos que os últimos momentos não tem sido os melhores da minha vida. Segue uma produção inédita. Beijos.


Cada dia é uma nova jornada.
Quando pensamos que ganhamos a batalha,
Nos deparamos com a guerra.
Quando pensamos em uma boa noite de sono,
O telefone toca.
Quando pensamos “agora acabou”,
Acrescentamos o “de começar”.

Temos de reviver,
Renascer a cada dia,
A cada momento.

São tantas as experiências que nos magoam,
Que nos matam todos os dias,
Que os horizontes vão se fechando,
As saídas se esvaindo,
Os caminhos se estreitando,
Por vezes trilhas,
Escuras e tortuosas.

É necessária uma mão amiga,
Um empurrão,
Um abraço,
Um colo pra chorar e desabafar,
Protegido,
Para só depois continuar.

Por noites escuras tenho passado,
Por caminhos falsos meus pés me conduziram.
Apesar de não as velas,
Sei que lá estão,
As estrelas,
E em breve,
Irão brilhar novamente.

Tenho passado por momentos sóbrios,
Fantasmas me atormentam,
Me ordenam que faça,
Aquilo que não desejo,
Me ditam ordens,
Querem me ver no chão.
                                                                                                                                       Imagem
Os dias são frios e chuvosos,
O vento, uivante na janela,
Traz lembranças de um passado já distante,
De um passado que alimenta as sombras,
Que vivem dentro de mim.

Preciso de luz,
Preciso de alguém que me traga luz,
De alguém que me conduza à luz,
De alguém que tenha paciência,
Por este momento de cegueira.
Sei que o céu abrirá novamente,    
                                                                        
O sol brilhará forte,
E as estrelas mostrarão seu brilho novamente,
Na escuridão da noite.

O forte vento,
Numa leve brisa se transformará,
Favorecendo a condução do leme
Desta embarcação chamada vida.

                        (11/11/10)
Related Posts with Thumbnails