quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Deu Uma Louca na Bicha!


            Olá meus queridos, como estou com saudade, nossa, vocês nem imaginam a correria que está aqui! Como havia mencionado no último post, tenho um bafão pra contar para vocês, bem, talvez bafão seja demais, talvez para alguns de vocês seja algo bem simples e corriqueiro, parte da vida, mas não para mim, alguém que se negou por 18 anos, alguém timidasso (isso existi?).
            Bem, tudo começou a mais ou menos uns 2 meses atrás quando minha mãe, ao me visitar, disse que eu estava magrinho demais, rsrsrs, imagine só, que eu tinha que entrar numa academia, bem..., depois dessa!
            Assim fiz, (e quero ficar bonitão, será que consigo?), olha, até eu mesmo estou assustado com o que estou comendo, credo! Mas o fato é, já nas primeiras semanas comecei a conhecer o território onde estava me enfiando, tudo bem que enfiar não é comigo né! Mas as vezes todos temos de fazer, rsrsrs. Logo já comecei a marcar os rostinhos, umas olhadelas as vezes não arranca pedaço, minha sorte que não tem muitos gatos na hora em eu costumo malhar, nossa, não há nada que me desconcentre mais!
            No entanto, e como sempre tem de ter um no entanto, há um que ..., melhor omitir esta parte, resumindo, está me tirando o sono, o cara é uma pintura, nunca gostei de barba e continuo não gostando, mas a dele, vixixixi, sempre bem feitinha, baixinha, cheinha, castanho claro, aiai.
            Depois de alguns dias, depois de algumas olhadelas, comecei a observar que o comportamento dele era bem semelhante ao meu, digo, ele sempre ficava na dele, calado, concentrado, aparentemente tímido, ai vocês já sabem né, nosso cérebro faz isso que é uma beleza, já comecei a enxergar coisas:
            -Será que ele é gay?
            -E se não for, aiai que desperdício.
            Bem, o fato é que por algumas vezes nossos olhares começaram a se encontrar, hummm, isso não vai prestar! E agora, será que ele está demonstrando algum interesse ou está incomodado? Aaaa, mas eu não fui tão descarado assim!
            E continuou assim por algumas semanas, as vezes ele vinha fazer algum exercício perto de mim, eu torcendo pra ele puxar assunto, seria a prova que eu precisava, mas ele nunca fez isso, eu então, mais fácil fazer o que fazem os avestruzes (enfiar a cabeça num buraco) que chegar em alguém!
            Certo dia ele estava do outro lado do salão da academia, eu termino minha série, e olho para o lado, adivinha, ele estava olhando para mim, a duas semanas atrás, ele termina a série dele, sai de onde ele estava em direção ao bebedouro, detalha, para isso passa na minha frente, ao passar olha em meus olhos, credo, eu quase caí claro.
            -Não é possível, depois dessa, ele deve ser gay. Que incomodo seria este?
            As coisas foram esquentando, na segunda-feira da semana passada, terminamos no mesmo horário pela primeira vez, ele sai e alguns metros atrás eu torcendo para ele olhar para trás ou falar algo, nada, ele desceu as escadas, e foi, confesso que quase fiquei olhando-o virar a esquina rsrsrs.
            Na terça-feira, quando cheguei à academia, ele não estava lá, fiz meu alongamento, os 15 minutinhos de esteira, neste momento ele chegou, meu deus, aquela coisa se alongando a 4 metros na minha frente, e braço para cima, braço para traz, levanta a perna, estica, dedos da mão na ponta do tênis, olha não vá ler errado, é tênis! Me concentrei novamente, bem... tentei, e fui fazer minha série de exercícios, terminei e fui fazer o alongamento para voltar para casa, adivinha quem foi se alongar também? Pois é, será que ele estava precisando de ajuda?
            Foi como se ele estivesse marcando o tempo, a hora que eu me levantei para sair, ele saiu na minha frente, aí, essa mente maldita entrou em trabalho:
            -Ai ai, hoje tem, será que apanho? Se não for no olho ta de bom tamanho!
            Bem, saí bem atrás dele, o que eu podia fazer?
            Tive a impressão, e ai não confirmo, que ao começar a descer as escadas ele olhou para traz, mas como nestas horas vemos de tudo, não sei até onde isso foi verdade, sei apenas que desci logo atrás dele, no meio da escada estávamos sozinhos, ninguém por perto, a língua coçou de vontade falar algo mas do jeito que sou desastrado pra cantadas, sei lá, vai que sai algo do tipo “ta quente hoje né!”, é melhor ficar quieto, descemos, ele parou aguardando um carro passar, nesta hora a língua chegou a balbuciar palavrinhas em minha boca, quase saiu, mas o carro passou e ele atravessou.
            Imaginem os palavrões mais feios que vocês podem imaginar, pois é, me chamei de todos eles nesta terça-feira:
            -Seu idiota, cach..., veado medroso, as..., d..., de..., pu..., o que poderia acontecer? Você ouvir um sim caso você perguntasse se ele era gay ou tomar uma porrada! Medroso.
            Olha, fiquei possuído nesse dia, irreconhecível, jurei pra mim mesmo que o próximo dia em que saíssemos juntos eu ia falar algo, nem que fosse “ ta quente hoje né!”.
            Na quarta-feira eu tenho aula pela manhã, então vou a academia a noite, ai já sabia que não iria vê-lo, na quinta fui no horário normal, de manhã, ai foi ele que não apareceu, e eu já não estava agüentando mais, não por não saber se ele era ou não, mas por essa falta de coragem desgraçada.
            Na sexta-feira, cheguei e fui fazer o alongamento, ele chegou em seguida, gelei na hora claro, tentei me manter normal, fiz os exercícios e fui me alongar para sair, ele também foi, neste momento acho que nem o sol brilha tanto quanto meus olhos brilharam, é hoje pensei, hoje eu apanho de verdade! Fiquei observando ele e, quando vi que ele estava terminando fui, saí na frente dele, passei na roleta e ao começar a descer as escadas olhei para traz, um dos instrutores o havia abordado no meio do caminho. Ai invoquei todos os demônios do inferno, claro, tantos dias pra conversar, tantos momentos diferentes, vai ser naquela hora, justo naquele momento? Ninguém merece.
            Terminei de descer as escadas cuspindo fogo pelas ventas, estava emputecido..., a hora que desci o último degrau, parei:
            -Eu não vou embora! Ele já está saindo, eu vou esperá-lo aqui.
            Não demorou nem um minuto, e ele desceu, estávamos de frente para a rua, carros, barulho, ninguém prestando atenção, virei-me em direção a ele e disse:
            -Queria te fazer uma pergunta. Claro que não foi fácil assim, por pouco não saí correndo.
            -Pois não. Foi a resposta que ouvi num tom bem firme, ai pensei como era ruim não ter um plano hospitalar, mas, como quem está na chuva é para se molhar, agora é ir até o fim.
            Tudo foi tão rápido, ele olhava para frente, tentei, gaguejando alguma coisa, continuar:
            -É..., eu..., eu não sei se você percebeu (claro que ele já havia percebido), mas eu tenho olhado para você algumas vezes e..., eu..., eu gostaria de saber se é recíproco ou não.
            Meu deus que alívio depois que terminei a frase, parecia que eu estava com 100 quilos nas costas.
            Ele abaixou a cabeça, deu aquele sorriso que só ele tem e disse:
            -Não..., não é. Disse de forma bem calma, fiquei surpreso, olha, se tivesse meu plano nem precisaria dele, rsrsrs.
            Eu, apenas balbuciei um ok e fui saindo, no entanto, acho que devo ter mudado tanto de cor, roxo, azul, amarelo, rosa chiclete, que devo tê-lo assustado, quando já ia saindo, ele continuou:
            -Mas faço o mesmo curso que você. Você faz ciência da computação né?
            -Sim, faço, onde você faz? Nem acredito que consegui dizer isto!
            -Na verdade acabei de me formar, fiz na UFES (Universidade federal do Espírito Santo).
            -Legal. Foi o que saiu, parece que eu já havia gasto minha cota de palavras daquele dia. Ai ele se despediu.
            -Falou, até mais.
            Mais um pouco e eu ia para casa virando cambalhotas e plantando bananeiras, mesmo ele tendo dito não, vocês meus caros amigos blogueiros leitores não fazem idéia da felicidade que eu estava sentindo, por ter vencido, ter me vencido, ter vencido mais um de meus tantos medos.
            Olha, foi mesmo loucura, quando me lembro disso começo a rir sozinho.
            Depois disso acho que eu o assustei, esta semana não temos nos encontrado não, exceto por ontem (terça-feira) que, ele chegou quando eu já estava me alongando para ir para casa, ai nem deu pra trocarmos olhares, estávamos distantes, bem, o tempo é o melhor conselheiro para algumas coisas, e eu como bom discípulo do amor (aquele que insiste em não enxergar a verdade) ainda estou com a pulga atrás da orelha, pra falar a verdade um zoológico inteiro, estou me perguntando, porque ele me diria que fazemos o mesmo curso?

12 comentários:

  1. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk Adorei o texto, torci por você o tempo todo. Ah! Essa maldita timidez. Não se preocupe, acho que é só uma questão de tempo, a largada já foi dada, agora é só esperar, ele será vencido. Sucesso
    Bjux

    ResponderExcluir
  2. rsrsrsrsrs, Meu Garoto, e como é bom o fruto do Amor!
    Agora, essa história tua, vai continuar!
    E eu quero voltar pára saber o desfecho, rsr!!
    Menino Lindo!!!

    ResponderExcluir
  3. gente
    eu adorei o seu blog
    tb me aconteceu uma coisa parecida na academia
    por um instante, não tinha reparado q vc é de vitória, e fiquei pensando: será que ele é o menino q falou comigo? apesar q as estórias terminam bem diferente, mas começa mto parecido, bem... estórias em academias devem começar todas assim mesmo né?

    ResponderExcluir
  4. Oi , Garoto !

    Adorei o bafão e torço pra que isso tudo
    se transforme em um belo caso de amor.

    BjO Grande.

    ResponderExcluir
  5. Nossa, adorei o texto, espero que tenhas um final mais feliz...será que ele não está dando uma de difícil?
    E sei mais do que ninguém o que é timidez!
    Bj*

    ResponderExcluir
  6. Que bafão hein...kkkkkk
    Vai saber neh, será q é, ou não? Será q ele te disse a vdd? É hj q sai o resultado do blog books neh?!
    Me digaa logo o resultado qnd sair. Tô anciosa.


    www.vanessamonique.blogspot.com
    @vanimonique
    :*

    ResponderExcluir
  7. To passádãn com a corági da senhÖra... gentchy... eu jamais faria uma coisa dessas... e olha que sou extremamente igual a você... mais fácil eu enfiar a cabeça no buraco também! hahaha!!!

    Mas parabéns... eu gostaria de ter coragem assim também... quem sabe se eu tivesse feito a mesma pergunta a um ex-colega de trabalho sob as mesmas circunstâncias... eu tivesse recebido um SIM como resposta e não estaria amargando uma solidão e dor de cotovelos! hahaha!

    To orgulhoso da senhÖra viu?

    ***

    umBeijo!


    ;-)

    ResponderExcluir
  8. Vc deve ser o tipo de amigo q mata a gente de ri...rsrs Apesar da história ser tragicômica, eu achei bem interessante e criativa.

    boa sorte!
    bj
    .
    LiZa

    ResponderExcluir
  9. Olha, eu só tenho que te dar parabéns, sou muito igual você neste ponto. Prefiro enfiar a cabeça em um buraco fácil! e até hoje nunca cheguei em ninguém. Ahco que daqui a pouco vc estará me dando umas dicas... rsrsrs

    Beijo!

    ResponderExcluir
  10. Muito legal cara, tbm jah passei por duas situações parecidissimas.

    ResponderExcluir

Related Posts with Thumbnails