domingo, 18 de julho de 2010

Relatos Científicos

5 mitos sobre homossexuais para descrentes 

1.Animais são totalmente “héteros”


Apesar da percepção popular de que pares de homens e mulheres são a única maneira "natural", o reino animal é realmente cheio de exemplos de casais do mesmo sexo. Pingüins, golfinhos, bisontes, cisnes, girafas e chimpanzés são apenas algumas das muitas espécies que, por vezes, emparelham-se com parceiros de igual gênero.
Os investigadores ainda estão ponderando sobre a razão evolutiva, se houver, para o sexo gay entre animais, uma vez que não produz descendência. Algumas idéias são de que ele ajuda a fortalecer os laços sociais ou incentive alguns indivíduos a concentrar seus recursos em consolidar seus sobrinhos e sobrinhas, assim, aumentar seus próprios genes indiretamente.
Ou pode simplesmente ser divertido. "Nem todo ato sexual tem uma função reprodutiva", disse Janet Mann, um biólogo da Universidade de Georgetown.
Namoros entre indivíduos masculinos são freqüentes entre os mamíferos de pescoço comprido. Muitas vezes, um homem vai começar carícias com outro antes de continuar a montar ele. Este jogo carinhoso pode demorar até uma hora. Segundo um estudo, uma em cada 20 girafas macho será encontrado tendo carícias com outro macho em qualquer instante. Em muitos casos, a atividade homossexual é dita ser mais comum do que a heterossexual.

2.Relacionamentos Gays não são duradouros


Outro estereótipo é de que as relações homossexuais não são tão reais ou de longa duração como as heterossexuais.
A investigação descobriu que, pode ser falso. Estudos de longo prazo de casais homossexuais indicam que seus relacionamentos são tão estáveis quanto os héteros.
"Há evidências consideráveis de que tanto as lésbicas e os gays querem ser forte, relacionamentos comprometidos [e] são bem sucedidos na criação destas parcerias, apesar das dificuldades criadas pelo preconceito social, o estigma e a falta de reconhecimento legal para as relações do mesmo sexo na maior parte os E.U.A ", disse a psicóloga Anne Peplau da UCLA (University of California, Los Angeles), co-autora de um capítulo do livro sobre o assunto publicado em 2007 para a Annual Review of Psychology.
Por exemplo, John Gottman, professor emérito da Universidade de Washington de psicologia, e seus colegas coletaram dados de casais homossexuais por 12 anos, e descobriram que cerca de 20 por cento tinham rompido a relação durante esse tempo. Essa taxa projetada durante um período de 40 anos é ligeiramente inferior à taxa de divórcio para os primeiros casamentos entre casais heterossexuais sobre o mesmo período de tempo, de acordo com o estudo publicado em 2003 no Journal of Homosexuality.
"A implicação geral desta pesquisa é que nós temos que nos livrar de todos os estereótipos do relacionamento homossexual e ter mais respeito por elas como relações de compromisso", disse Gottman.
Finalmente, o mesmo estudo ainda descobriu que os casais gays tendem a ser melhor em resolução de conflitos e estimular emoções positivas.

3.A maioria dos pedófilos são gays




Um mito particularmente pernicioso é que a maioria dos adultos que abusam sexualmente de crianças são homossexuais. Um número de investigadores analisaram esta questão para determinar se os homossexuais são mais propensos a serem pedófilos do que os heterossexuais, e os dados indicam isso que não é o caso.
Por exemplo, num estudo de 1989 conduzido por Kurt Freund, do Instituto Clarke de Psiquiatria no Canadá, os cientistas mostraram imagens de crianças a adultos homens gays e heterossexuais, e mediu a excitação sexual. Os homens homossexuais reagiram mais fortemente para fotos de crianças do sexo masculino do que os homens heterossexuais reagiram às fotos das crianças do sexo feminino.
Um estudo de 1994, liderado por Carole Jenny do Centro de Ciências da Saúde da Universidade do Colorado, pesquisou 269 casos de crianças que foram molestadas sexualmente por adultos. Em 82 por cento dos casos, o suposto criminoso foi um parceiro heterossexual de um parente próximo da criança, os investigadores relataram na revista Pediatrics. Em apenas dois dos 269 casos, o agressor foi identificado como sendo gay ou lésbica.
A investigação empírica não indica que homens gays ou bissexuais são mais prováveis do que homens heterossexuais para molestar crianças", escreveu Gregory M. Herek, um professor de psicologia na Universidade da Califórnia em Davis, em seu site. Herek, que não esteve envolvido em nos estudos de 1989 ou 1994, elaborou uma revisão de pesquisas sobre o tema.

4.Pais Gays não são tão bons quanto um pai e uma mãe


Muitos daqueles que se opõem ao casamento gay e adoção por homossexuais dizem que os pais do mesmo sexo não são bons para crianças, e que uma criança precisa de pai e uma mãe para crescer e se tornar um adulto saudável. Entretanto, pesquisas mostram que filhos de pais homossexuais tendem a se sair muito bem em suas vidas.
Por exemplo, um estudo recente analisou cerca de 90 adolescentes, metade do sexo feminino que vivem com casais do mesmo sexo e os outros com os casais heterossexuais, mostrando que ambos os grupos se saíram da mesma forma na escola. Garotos adolescentes de famílias do mesmo sexo tiveram médias de notas de cerca de 2,9, em comparação com 2,65 para os seus homólogos nos lares heterossexuais. As meninas adolescentes mostraram resultados semelhantes, com média de 2,8 para as que convivem em famílias “alternativas” e de 2,9 para meninas em famílias heterossexuais.
Outro estudo descobriu que crianças que possuem duas mães ou dois pais eram mais prováveis do que suas contrapartes em casas "tradicionais" a realizarem atividades delinqüentes, tais como danos as propriedade alheias, furtos e participação em brigas. “A finalidade da pesquisa é que a ciência mostra que crianças criadas por dois pais do mesmo sexo ,em média são muito parecidas com aquelas criadas por dois pais de sexo opostos", disse Timothy Biblarz, um sociólogo da Universidade do Sul da Califórnia. "Isso é obviamente incompatível com a tese generalizada de que as crianças devem ser criadas por uma mãe e um pai para que possam crescer saudavelmente”. Ambos os estudos foram descritos em um documento de revisão de literatura publicada em Fevereiro de 2010, no Journal of Marriage and Family.
5.Ser gay é uma escolha


Enquanto alguns afirmam que ser gay é uma escolha, ou que a homossexualidade pode ser curada, há evidências de que a atração pelo mesmo sexo é pelo menos parcialmente genéticos e de base biológica.
Para testar se os genes desempenham algum papel quanto esse aspecto, os pesquisadores compararam os gêmeos idênticos (em que todos os genes são compartilhados) com gêmeos fraternos (em que cerca de 50 por cento dos genes são compartilhados). Na revisão de 2001, tais estudos com gêmeos relatou que quase todos gêmeos idênticos encontrados foram significativamente mais propensos a compartilhar uma orientação sexual - isto é, ser tanto gay, hétero ou ambos - do que gêmeos fraternos, que são geneticamente menos próximos. Tais achados indicam que os genes correspondem como um fator que designa a orientação de uma pessoa.
Outros estudos encontraram que os efeitos biológicos, tais como a exposição hormonal dentro do útero, também podem desempenhar um papel na definição da orientação sexual. E os resultados das diferenças fisiológicas, como diferentes formas da orelha interna entre as mulheres homossexuais e heterossexuais, contribuem para essa constatação.
"Os resultados apóiam a teoria de que as diferenças no sistema nervoso central existem entre os indivíduos homossexuais e heterossexuais e que as diferenças são possivelmente relacionadas a fatores no início do desenvolvimento do cérebro", disse Sandra Witelson, da Universidade McMaster, em Ontário, um dos autores do estudo do ouvido interno de 1998, publicado na revista Proceedings of National Academy of Sciences.

Texto retirado na íntegra do blog “Que Foi? Blog 2.0” com permissão do proprietário.

14 comentários:

  1. Olá garoto
    Muito bons seus textos. Comentarei só sobre os relacionamentos. O meu já dura 35 anos 9 meses e 18 dias. Só isso.
    Bjux

    ResponderExcluir
  2. Muito bom o post, já ouvi barbaridades sobre o lance de que casal gay não pode ser bons pais...
    Continue colocando artigos como esses, esclarecedores!
    Um bom domingo (aqui com chove)
    Abçs!

    ResponderExcluir
  3. Ótimo texto escolhido. São tantos mitos no nosso mundo que eu fico assustado, tantas rotulações e por aí vai. Será que não podemos apenas viver em paz como qualquer outro? rs

    Abraço e ótima semana para vc tb!

    ResponderExcluir
  4. Devemos respitar as opções do tods, paz.
    Beijo Lisette

    ResponderExcluir
  5. Muito interessante o post, e quanto ao fato da adoção, acredito que os casais homossexuais cuidam melhor das crianças adotadas do que muitos casais heteros, não vou nem citar o exemplo da tal Procuradora Vera Lúcia, o que pra mim envergonha a sociedade.
    De modo geral, adorei as informações, é sempre bom aprender algo novo, e ver que até a fauna se comporta de forma diferente da que impomos à sociedade.
    Um beijo, e obrigada pelas visitas constantes ao meu blog, andei sumida algum tempo, mais acho que agora vou ter um pouco mais de tempo para me dedicar ao mundo cibernético.
    (nossa que texto) rsrsrsrs
    Beeijo

    ResponderExcluir
  6. Independentemente de sexo, em suma o mais importante é o amor que independe da condição sexual da pessoa. O estado de alma fala mais alto. Quando se ama não importa a que lado fica o prazer maior.

    ResponderExcluir
  7. Amigo, pois vou te dizer, o que mais
    me chamou a atenção em seu magnífico
    e esclarecedor texto, foi a questão
    de poder ou não ser pais os casais gays...
    A meu ver, se eu tivesse o poder de decisão
    esses casais teriam prioridade em adoções
    de crianças, pois vejo e sinto que esses
    casais realmente se preocupariam muito
    mais com o bem estar de uma criança do que
    muitos casais comuns ditos "pai e mãe"...
    Pois vejo nos casais gays, uma maior afetividade,
    sensilidade, e honestidade nos relacionamentos...
    Parabéns pelo sensacional post!!!
    Carinhos a ti... Abraços

    ResponderExcluir
  8. Meu amigo, tu realmente faz juz ao pseudônimo "Garoto Cientista"!
    Pois a exposição que tu fizeste, foi de uma maneira didática, séria, científca e atual.
    Até o aguardei lá no blog, mas como tu não foi, deixo para ti, na íntegra, o post que escrevi, sobre o polêmico deputado que usou de suas prerrogativas para indeferir tudo que venha de encontro aos interesses da comunidade gay no Brasil, que embora não faça parte, quero dizer que os admiro muito, (e tua pessoa de um modo distinto), e os aplaudo pela coragem em peitar todo um sistema carcomido pela hopcrisia.

    ACIMA DO BEM E DO MAL

    Acima da capacidade intelectual e profissional, está a capacidade de reconhecer que nenhuma verdade é absoluta. Ter humildade em admitir seus próprios erros, mesmo que isto represente situações adversas, é digno e nos aproxima das outras pessoas. Ter autoconfiança, sim. Ser arrogante, JAMAIS. Não confundamos arrogância com coragem, ousadia, ou persistência.
    Escrevo este texto inspirado sobre Arrogância, postado no blog do meu amigo Wanderley Elian Lima, Novas Estações, porque foi num momento em que li de um deputado: “Não tenho dúvida de que essa decisão dará força a grupos de pressão no Brasil, grupos que já são recebidos no Congresso com uma pompa desproporcional, grupos absolutamente minoritários”, afirmou o deputado, em entrevista ao UOL Notícias. “É um exemplo danoso, muito próximo de nós.”
    A arrogância descrita acima, para mim, esta sim, vai muito mais além.
    Aliás, bem além do Poder Constituído.
    Porque digo isso? Há uma classe de pessoas que imbuídas de uma autoridade conseguida nas urnas, usam desse poder, para desprestigiar, para menosprezar, e para se colocarem perante a sociedade tupiniquim, como embaixadores do céu e do inferno!
    Por meio de bancadas, lobby, e ARROGÂNCIA, não fazem concessões, e não abrem mão, para os clamores de uma parte dessa sociedade, que também paga seus impostos, são seres humanos, e acima de tudo isso, são cidadãos brasileiros!
    A impressão que dá, é que vivemos num Estado Teocrático!
    Perante a lei, somos todos iguais? Se não somos, continuaremos na contramão da História, ou seremos movidos pela ortodoxia de alguns grupos religiosos? Continuaremos na arrogância em acharmos que somos a verdade absoluta? Estou falando aqui sobre pessoa física, portanto humana, e o Estado de Direito!
    Sabemos que o Brasil foi o último país a abolir a escravidão!
    Vergonhoso, não?
    O Divórcio só foi aprovado em 1977, Portugal já o havia aprovado em 1910!
    Onde estará a humildade para mudar o que é preciso?
    A presidente argentina Cristina Fernandez apóia o casamento homossexual, como questão de direitos humanos perante a nação e diante da Lei.
    Enquanto o país dela, e enquanto a Holanda, Suécia, Portugal, Estados Unidos e Canadá adotam leis que dá os mesmos direitos legais para os homossexuais, o Brasil fica em cima do muro, com a máscara da hipocrisia, bancando uma de moralista, da defesa das tradições, da religião, e dos bons costumes!
    O deputado acrescenta que nenhuma forma de união civil deveria ser admitida, tampouco a possibilidade de adoção por parte de casais gays. “Adoção deve ser feita por uma família, e não por um simulacro de família”, afirma.
    Pasmem amigos de outras plagas!
    O nosso Congresso é a nata do mundo! É o centro do Universo! Nem a própria Igreja católica na Idade Média...

    Um abraço de teu leitor.

    ResponderExcluir
  9. Oi Garoto, como está?
    Menino, legal o esclarecimento, ajuda a limpar a mente das pessoas a respeito dos assuntos abordados. Gostei bastante.
    Ótima semana pra vc tbm menino.
    Ah, vota em mim no Top Blog, é só clicar no selo q está do lado esquerdo do meu blog. Agora se vc quiser fazer propaganda, fique a vontade por favor. Brigadão.
    Um bjo

    ResponderExcluir
  10. ja tinha lido texto num outro blog e acho q deve mesmo ser (re)postado aos 4 cantos...

    abraços
    voy

    ResponderExcluir
  11. Hey, olá! Nossa, este post foi o máximo, sabia? Põe abaixo a maioria dos argumentos que fazem as pessoas se escudarem contra os gays, o que até hoje eu não entendi. E, claro, seu traço de ironia foi ótimo, rs!

    Abraço!

    ResponderExcluir
  12. Nem vou entrar muito na questão. O que posso dizer é que cocneitos, preceitos e preconceitos, em todos ossetores da vida sempre existiram e sempre existirão. Infelizmente no Brasil, meias verdades, viram verdades iteiras. As pessoas ouvem e saem repetindo. Um abraço,amigo. Seja feliz

    ResponderExcluir
  13. Meu querido amigo, feliz dia do amigo!
    Um abraço do teu leitor.

    ResponderExcluir
  14. Ótimo post.

    Argumentos mais do que válidos, expondo um lado totalmente verdadeiro e comprovados sobre mitos criados em mentes primitivas.
    Basta mudar conceitos pré-formados.

    Abraço! \o

    ResponderExcluir

Related Posts with Thumbnails