sexta-feira, 25 de junho de 2010

Minha História Capitulo 7

13 de janeiro de 2004

            Em primeiro lugar, antes de tornar público mais um capítulo de minha vida, quero pedir desculpas a todos que com tanto carinho tem acompanhado e comentado meus posts, pela ausência, mas foi uma ausência justificada, nas duas últimas semanas estava a fazer as últimas provas da faculdade e, depois de tanta dedicação no período todo, não podia relaxar agora, e não relaxei, passei com notas acima da média em todas as disciplinas, estou muito contente, tudo bem que tem duas semanas que não durmo mais que cinco horas na noite, trabalhar e estudar é sinônimo de ralar, mas valeu a pena. Bem, agora vamos lá!

Minha Família em Meu Processo

            Em primeiro lugar quero atualizar estas páginas em relação ao local e que estou, ainda estou no seminário, sozinho, todos já foram de férias, mas como estou trabalhando e para não deixar a casa sozinha neste período de férias, ainda estou aqui, continuo trabalhando na loja de roupas e causados.
            Agora posso por nestas poucas linhas como foi esta última conversa com Irmã Elizabete, lembrando que, pela primeira vez, eu consegui conduzir a conversa. Contei como havia sido minhas pequenas férias, que havia ido para casa no dia 25 de dezembro já de madrugado, sim de madrugada, pois trabalhando numa loja de roupas e causados deves imaginar até que horas trabalhei no dia 24, e na segunda de manhã, dia 29 já estava de volta ao trabalho.
            Nesta conversa, Irmã Elizabete ficou boa parte do tempo escutando atentamente o que eu dizia. Contei-lhe como foi bom rever meus amigos de infância, minha madrinha, alguns tios, descansei bastante e conversei muito com minha família também. Minha irmã de 14 anos está namorando, meu irmão de 20 anos também, minha mãe está bem, não está namorado, porém está um tanto preocupada com meu irmão.
            O problema maior e o seguinte, comecei eu relatando a Irmã Elizabete, nestas ferias meu irmão me contou como conheceu a namorada dele, detalhe, me pediu segredo, pois ninguém sabe do que ele ia me contar a não ser os envolvidos, um certo dia foi convidado por um de nossos tios para um churrasco, até ai nada de mais, o problema foi que ao chegar, meu irmão se deparou com a amante desse tio, que já é casado e tem uma filha belíssima, como ele havia convidado meu irmão, pediu a amante dele que levasse a irmã dela também para meu irmão não ficar sozinho.
            Esse churrasco particular de poucas pessoas aconteceu à beira de um riacho, passaram a noite em barracas e só no outro dia voltaram para casa, já a caminho, a amante de meu tio vendo que meu irmão e a irmã dela havia passado a noite toda juntos, disse a ela para convidá-lo para uma festa de aniversário que aconteceria daí a quinze dias, pensando que ele não aceitaria ela convidou, ele aceitou.
            Passado os dias, meu tio, ternura de companhia, combina com meu irmão e vão a tal festa de aniversário, minha tia coitada, acreditava piamente que ele estava trabalhando, ele, dizia à amante que terminaria o casamento para ficar com ela, moral da história, ele vivia com as duas enganando ambas.
            Voltando à festa, quando lá chegaram, a irmã da amante não acreditou que meu irmão tivesse ido realmente, passou o tempo todo se distanciando dele, se escondendo, até que no final da festa, ele conseguiu beijá-la, depois desse dia, vão escalando os finais de semana, cada final de semana na casa de um.
            Meu irmão acredita estar apaixonado, eu não duvido disso, apenas não vejo muita coerência em suas atitudes, comentou até em casamento, mas nunca tocou no assunto de fazer uma faculdade, de se preparar para um bom emprego, aprender uma profissão, afinal existem vários caminhos além de uma graduação, mas não, nunca se quer comentou sobre essas possibilidades.
            Conversando com minha mãe, ela disse uma frase que me marcou muito quando lhe perguntei em relação ao meu irmão, ela disse simplesmente que “nem ele sabe o que quer!”.
            Partindo daí contei a Irmã Elizabete outros problemas, o principal deles com relação à autoridade, quando meu pai era vivo, se ele dissesse sim, era sim, se ele dissesse não, era não, mas com minha mãe é diferente, quando meu irmão diz que quer fazer alguma coisa e minha mãe diz sim, ela faz, se ela diz não, ele faz do mesmo jeito. Minha mãe havia feito um projeto para tentar um empréstimo, no entanto foi obrigada a desistir, meu irmão já estava pensando em como conseguir notas frias e usar parte do dinheiro para comprar outra moto, pois a primeira que ele comprou havia sido vendida para pagar uma cirurgia que precisou fazer devido a um acidente que sofreu com a mesma enquanto voltava com a namorada de uma festa.
            Depois de ouvir isso tudo, Irmã Elizabete comentou sua opinião, em primeiro lugar, o primeiro erro de meu pai e minha mãe foi centralizar o poder com meu pai, com a ausência dele, meu irmão não aprendeu a obedecer minha mãe, e, em segundo lugar, meu irmão, até inconscientemente, está tendo atitudes autodestrutivas programadas desde a infância por algo que viu ou ouviu, ou ainda mais cedo, por um bloqueio a nível familiar, onde uma pessoa tem atitudes destrutivas não por escolhas, mas porque alguma coisa em seu coração ou em sua mente lhe cria o desejo, a vontade de fazer, como, no caso do meu irmão, o prazer de sair para festas, de moto, bebedeiras, e sempre mal acompanhado, com meu tio, mesmo sabendo que ele só o leva para maus caminhos, que também deve ser vítima de bloqueios passados provenientes da experiência familiar da infância.
            Para pessoas com essas características, o mais indicado é a conversa, com a família, com pessoas mais esclarecidas, com amigos, e até mesmo a procura de ajuda com um profissional mais capacitado em casos mais sérios para um aconselhamento.
            Ufa, que férias!!!

6 comentários:

  1. Olá! Primeiramente, não se desculpe pela sua asuência, todos nós tomamos um chá de sumiço de vez em quando, estou começando a achar que este chá vicia em alguns, espero que com vc isto não aconteça. Ai ai, como eu falo besteira, né?! Aposto que vc está pensando "Por que ele não comenta logo e vai embora?". rsrsrsrs.

    Olha, espero que seu irmão tenha achado um caminho melhor para seguir hoje em dia. Muitas vezes a gente percebe para onde nossos familiares caminham e não podemos fazer muita coisa, mas o importante é sempre estar por perto para guiá-lo de volta a uma caminho seguro.

    Abraço!

    ResponderExcluir
  2. Texto muito bom...continue com a saga de família.
    Obg pela visita e sei como são essas de faculdade e tudo mais. Voltarei para mandar a relação de filmes, ok?
    Seguindo vc no outro blog tbém...Abçs e bom fim de semana!

    ResponderExcluir
  3. cada um tem o seu destino ,.,., o bom é ddesfrutar os dons que Deus te deu.

    ResponderExcluir
  4. Voltei, como prometido, eis minha relação de filmes (que adoro), espero que vc veja alguns( se é que já não viu...rsrsrsr):
    -Meninos não choram
    -Querelle
    -Amores possíveis
    -Beleza Anmericana
    -Eclipse de uma paixão
    -Furyo, em nome da honra
    -Lua de fel
    -Morangos e chocolates
    -Transamérica
    ..................

    ResponderExcluir
  5. Oi, o seu texto nos faz refeltir sobre as relações humanas e o quão complexas se desenham... é difícil entendermos o outro, aconselhar, nos colocar em situação alheia. Muitas vezes, não entendemos nem a nós mesmos, que dera compreender o que não nos cabe.
    Muito bom!

    Abraços!
    Bom jogo!

    ResponderExcluir
  6. Oi meu querido.
    Olha muitas vezes o relacionamento familiar é bem mais complicado do que o que vivemos fora...
    Já passei por isso e senti como se estivesse em sua pele.
    Posso deixar uma sugestão de filmes para ti também?
    Então lá vai:
    Os Outros, Nicole Kidman
    K-Pax
    Priscilla, a rainha do deserto
    Cocoon I e II

    Abraços do teu leitor

    ResponderExcluir

Related Posts with Thumbnails