domingo, 26 de dezembro de 2010

Ressuscitei??

Olá meus queridos, já faz algum tempo,  pois é, e espero que este inverno tenha passado e que venha agora o verão!!

Depois de um dia de praia e sol com um “amigo”, fui convidado a ir ao cinema:

-Olha, “De Pernas Pro Ar” entrou em cartaz, vamos ver??
-“De Pernas Pro Ar”?? Ai, tem nome de filme brasileiro.
-Mas é filme brasileiro. Você não gosta??
-Sinceramente, prefiro gastar meu lindo dinheirinho com outros filmes.
-Mas eu vi o trailer, é muito bom, vamos, você vai gostar!

Bem, vencido pelo cansaço e simpatia, lá fomos assistir “De Pernas Pro Ar”. Pois bem, voltei de cara, o filme é maravilhoso, como todo filme brasileiro fala de futebol, favela ou sexo, este não podia ser diferente, é sexo do começo ao fim, no entanto, à tempos não assistia uma comédia tão boa como esta, tão boa que a julguei merecedora de uma divulgação gratuita, esta, feita aqui.

Fica ai a dica para quem curte o cinema brasileiro e também para aqueles como eu, não muito fãs, que julgam o presente baseado no passado.

Aproveito para expressar aqui o meu desejo de que todos tenha tido um natal maravilhoso, repleto de paz e felicidade, e que o ano que se aproxima seja cheio de oportunidades, prosperidade e realizações para todos.
Um grande abraço!

sábado, 27 de novembro de 2010

Semana de Cão


A vida é mesmo irônica. Dia desses descobri um site de roupas íntimas, dei uma olhadinha, sabem, sou ficcionado em cuecas, tecidos diferentes, texturas, cores, as vermelhas me excitam tanto, rsrsrs, fetiches à parte, comprei algumas na “nova lua”, em poucos dias chegaram, olhei bem uma a uma, e as guardei.

Ontem, dois colegas de trabalho, os dois mais gatos, combinaram de ir tomar umas “devassas”, me chamaram, disse que só poderia depois da faculdade, sem problemas, responderam, na última vez que fomos saímos de lá já passava de meia noite.
Já na faculdade, a professora do segundo horário liberou os alunos mais cedo devido a greve dos ônibus da cidade, ao que pensei, bendita greve (apenas 50% da frota está circulando), fui logo para casa (consegui embarcar em 5 minutos), tomei aquele banho, não agüento mais este calor, e, de toalha no quarto, peguei as cuecas novas e fui escolher uma, peguei uma preta, bem máscula, (até parece kkk), uma bermuda de tactel branca com umas listras coloridas, uma camiseta branca, um gel no cabelo rebelde que me deixa irado, e fui para o ponto de ônibus novamente.
Lá cheguei exatamente as 10 da noite, um dos gatos já tinha me ligado para saber onde eu estava, deu 10:15, 10:20, deu 10:40, quando foi 11:00 horas liguei para eles e desmarquei, to no ponto ainda, se eu pagar táxi pra ir e voltar, fico sem beber uma “devassa” e depois daquela aula de cálculo 3, funções de várias variáveis, derivadas duplas, momento, centro gravitacional, nem na terra eu estava mais.
Por fim, voltei para casa, maldita greve. Passada a raiva, ouvi uma “vozinha” (diminutivo de voz) no meu ouvido, “aproveite o tempo para estudar”. Pensei, talvez tenha sido melhor, afinal faz duas semanas que estou numa semana de cão, e isso só vai terminar daqui a duas semanas, ai é férias.

Meus queridos, peço desculpa pela ausência, mas prometo que assim que terminar este período tumultuado de provas de final de semestre eu volto a ativa. Beijos.

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

SOS UTILIDADE PÚBLICA

NO RIO DE JANEIRO...


Jovem baleado após Parada Gay depõe no Rio; Exército diz que vai colaborar


O estudante de 19 anos baleado ontem durante após a Parada Gay no Rio prestou depoimento na tarde desta segunda-feira, na 14ª Delegacia Policial. Ele contou à polícia que estava namorando no parque Garota de Ipanema, no Arpoador, quando foi abordado por três militares com farda do Exército.
Segundo o jovem, havia cerca de 15 pessoas no local, todos homossexuais, que foram repreendidos e humilhados pelos militares. 'Eles disseram que, se pudessem, matariam todos', diz.
O jovem disse que um dos oficiais o empurrou, e ele caiu. Quando estava no chão, segundo o estudante, o militar atirou na sua barriga com uma pistola. O crime aconteceu por volta da meia-noite deste domingo (14).
O rapaz foi levado para o hospital Miguel Couto e, como o tiro não atingiu nenhum órgão, foi liberado no final da manhã desta segunda-feira.
Após seu depoimento, oficiais do Comando Militar do Leste estiveram na delegacia para dizer que irão colaborar com as investigações. Segundo eles, o Exército já abriu uma sindicância interna para apurar o fato.



EM SÃO PAULO...

Adolescentes acusados de agressão são estudantes de classe média

"Estão todos chorando. Não são marginais", diz mãe de jovem. Grupo teria usado lâmpadas fluorescentes para agredir na av. Paulista



Até chorei, a fala da mãe de um dos agressores é tão comovente!


domingo, 14 de novembro de 2010

Renascer

Olá meus queridos amigos, estou com muita saudade. Digamos que os últimos momentos não tem sido os melhores da minha vida. Segue uma produção inédita. Beijos.


Cada dia é uma nova jornada.
Quando pensamos que ganhamos a batalha,
Nos deparamos com a guerra.
Quando pensamos em uma boa noite de sono,
O telefone toca.
Quando pensamos “agora acabou”,
Acrescentamos o “de começar”.

Temos de reviver,
Renascer a cada dia,
A cada momento.

São tantas as experiências que nos magoam,
Que nos matam todos os dias,
Que os horizontes vão se fechando,
As saídas se esvaindo,
Os caminhos se estreitando,
Por vezes trilhas,
Escuras e tortuosas.

É necessária uma mão amiga,
Um empurrão,
Um abraço,
Um colo pra chorar e desabafar,
Protegido,
Para só depois continuar.

Por noites escuras tenho passado,
Por caminhos falsos meus pés me conduziram.
Apesar de não as velas,
Sei que lá estão,
As estrelas,
E em breve,
Irão brilhar novamente.

Tenho passado por momentos sóbrios,
Fantasmas me atormentam,
Me ordenam que faça,
Aquilo que não desejo,
Me ditam ordens,
Querem me ver no chão.
                                                                                                                                       Imagem
Os dias são frios e chuvosos,
O vento, uivante na janela,
Traz lembranças de um passado já distante,
De um passado que alimenta as sombras,
Que vivem dentro de mim.

Preciso de luz,
Preciso de alguém que me traga luz,
De alguém que me conduza à luz,
De alguém que tenha paciência,
Por este momento de cegueira.
Sei que o céu abrirá novamente,    
                                                                        
O sol brilhará forte,
E as estrelas mostrarão seu brilho novamente,
Na escuridão da noite.

O forte vento,
Numa leve brisa se transformará,
Favorecendo a condução do leme
Desta embarcação chamada vida.

                        (11/11/10)

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Serra falta com a verdade em relação lei contra a homofobia

Meus queridos amigos, até o presente momento, não quis por nada de política no meu belo espaço, acho que iria poluir, no entanto, hoje a noite, lendo o blog de um grande amigo e leitor, SER FELIZ É SER LIVRE, me deparei com um texto, uma notícia, que me senti na obrigação de repassar e assim o faço:


Ontem em Curitiba (26.10.2010), no Congresso Anual de Igrejas Assembléias de Deus do Paraná, o candidato a Presidência da República José Serra, prometeu caso seja eleito, vetar o projeto de lei (Substitutivo do PLC 122/06), que propõe tornar crime a discriminação por orientação sexual, identidade de gênero, pessoa idosa, mulheres e pessoas discriminadas em razão da sua origem, mesmo que aprovada pelo Congresso Nacional Brasileiro. Fato este amplamente noticiado na grande imprensa (como Globo.com, Folha de São Paulo e o O Dia).
O candidato tucano justificou a sua posição dizendo que o substitutivo do projeto de lei da câmara 122/06 é contra a liberdade religiosa, faltando com a verdade, mostrando total desconhecimento do projeto de lei e emitindo visão distorcida quanto à importância de enfrentar a discriminação e a violência contra LGBT no país.
O substitutivo do PLC 122/2006 não ataca a liberdade religiosa, como o candidato diz. É mentira! Isso é factóide!
O projeto de lei não interfere na liberdade de culto ou de pregação religiosa. O que o projeto visa coibir são manifestações notadamente discriminatórias, ofensivas ou de desprezo. Particularmente as que incitem a violência contra lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais.
Ser homossexual não é crime. E não é distúrbio nem doença, segundo a Organização Mundial da Saúde. Portanto, religiões podem manifestar livremente juízos de valor teológicos (como considerar a homossexualidade "pecado"). Mas não podem propagar inverdades científicas, fortalecendo estigmas e contribuindo para justificar a discriminação e a violência contra segmentos da população.
Nenhuma pessoa ou instituição está acima da Constituição e do ordenamento legal do Brasil, que veda qualquer tipo de discriminação e cabe à legislação infraconstitucional complementar os princípios da CF, a exemplo da lei anti-racismo.
Ninguém pode incitar ódio ou divulgar manifestações discriminatórias – sejam contra mulheres, negros, índios, pessoas com deficiência ou homossexuais. A liberdade de culto não pode servir de escudo para ataques a honra ou a dignidade de qualquer pessoa ou grupo social. O projeto não limita ou atenta contra a liberdade de expressão, de opinião, de credo ou de pensamento. Ao contrário, contribui para garanti-las a todos, evitando que parte significativa da população, hoje discriminada, seja agredida ou preterida exatamente por fazer uso de tais liberdades em consonância com sua orientação sexual e identidade de gênero.
O projeto de lei apenas pune condutas discriminatórias. É o que já acontece hoje no caso do racismo, por exemplo. Se substituirmos a expressão cidadão homossexual por negro ou judeu no projeto, veremos que não há nada de diferente do que já é hoje praticado.
O tucano no afã de conseguir votos de setores mais conservadores e de fundamentalistas religiosos coloca em risco uma agenda de direitos humanos que vem sendo construída, a duras penas, na sociedade brasileira, indo na contramão das políticas públicas que o país vem consolidando através do Programa Federal Brasil sem Homofobia e o Plano Nacional de Direitos Humanos e Cidadania LGBT, ambos implantados no Governo Lula, e que tem na laicidade do Estado Brasileiro o seu pilar.
Cláudio Nascimento
Ativista dos Direitos LGBT e de Direitos Humanos, há 21 anos
Cidadão Honorário da Cidade do Rio de Janeiro

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Garimpando

          Olá meus queridos amigos, consegui tirar um tempinho para posta novamente. Sabe, as vezes saio vagando pela internet em busca de algo diferente, algo novo, as vezes encontro, outras não, no entanto, desta vez fui direto onde queria, acontece que descobri o nome daquele garoto da academia que me deixa sem dormir, rsrsrs, para quem perdeu, me refiro ao post "Deu uma louca na bicha", pois é, descobri o nome dele, ai o que fiz? Google é claro! Vocês ja experimentaram jogar o nome de vocês no Google? É impressionante o que ele traz. Pois bem, olhem o que encontrei! Ele mesmo, não é ao vivo, mas é a cores, rsrsrs.

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Atitude

Hoje vemos como em espelho
Embaçado
Mas amanhã veremos face a face
Límpido e transparente
Como a água cristalina
Amanhã...amanhã
E esse amanhã chega quando?
Porque este hoje está longo por demais.

Quando chegará esse amanhã
Do sem hipocrisia
Do sem máscaras
Do sem preconceito
Do sem ignorância
Do sem fanatismo
Do sem ideologia
Do sem massacre
Do sem dominação?
Porque o sol de hoje insiste em não findar!

Taparam nossos olhos,
Deixamos,
Ajudamos,
Concordamos,
Taparam nossos olhos...
E os mantemos cobertos!

Cercearam nossas mentes,
Colaboramos,
Demos tijolos,
Nos omitimos,
Cercearam nossas mentes...
E agora estamos paralíticos!

Nos roubaram a alma,
E nos deram uma boneca,
Loura de olhos azuis,
Européia?
Nos roubaram a alma...
E somos marionetes... manipulados!

Nos tornaram pecaminosos,
Imorais,
Abomináveis,
Depravados,
Inferiores,
Permitimos que fizessem nossa imagem!
Mas alguns são insistentes,
Modéstia à parte,
Ó povinho insistente,
Alguns insistem em manter os olhos abertos,
Derrubar os muros,
Resgatar a alma,
Esbravejar idoneidade!

O sol está findando,
A escuridão já paira no horizonte,
O amanhã está chegando!


Uns videozinhos para divertir!!!!!!!!!!!!!!!




domingo, 10 de outubro de 2010

Minha História (Capítulo 19)

O Renascer de Uma Vida

06 de agosto de 2004



            Como em alguns dos encontros anteriores, comecei respondendo a uma pergunta, como estava? Todo sorridente, disse:

            -Nunca em minha vida havia me sentido assim, nunca havia me sentido tão bem comigo mesmo, uma imensa sensação de paz, de bem estar.

            -E com sua família, como está? Ela prosseguiu.

            -Mudou bastante, com minha mãe, começamos a conversar mais, sobre a família, o passado, o presente, com minha irmã, converso pouco, ela passa a maior parte do dia calada, quieta no canto dela, a maior mudança foi com meu irmão, conversamos muito mais agora, ele me conta coisas sobre o namoro dele, está mais flexível e, algo que nunca imaginei, até me pediu para eu lhe ajudar a pintar um quadro para sua namorada quando eu terminar o curso.

            -E a horta, como é trabalhar num lugar com tanta vida fazendo esta experiência deste renascimento?

            -É maravilhoso, parece ser parte de mim, colocar uma sementinha na terra, regar, adubar, retirar as ervas daninhas, colher os frutos, é muito parecido com o que estou vivendo, havia muitas ervas em meu terreno, me sufocando, arranquei-as, e agora estou começando a colher os frutos desse cultivo.

            Conversamos também sobre mim, sobre os assuntos que tanto me incomodava quando ouvia os outros conversando, sobre as críticas aos homossexuais que tanto me machucavam. Pediu que eu enumerasse de 0 a 10 o tanto que me incomodava atualmente, respondi 3.

            Ela sorriu e disse:

            -Você ainda se acha um erro da natureza?

            -Não, sem dúvida!

            -Hoje eu estou te dando alta, você não precisa mais de aconselhamento.

            Neste momento meus olhos começaram a lacrimejar, resplandeceu em meu rosto um imenso sorriso.

            -Porque você se emocionou? Perguntou-me Irmã Elizabete:

            -É muito bom saber que consegui chegar ao final do primeiro capítulo dessa história, a alguns meses atrás, eu achava isto tão distante e hoje bateu à minha porta. Ela prosseguiu;

            -Não é necessário nos encontrarmos mais, você já tem  leme, agora você é que conduz, vamos almoçar para comemorar esta vitória.

            Esta conversa foi no seminário, Irmã Elizabete almoçou conosco, mas antes de irmos almoçar, ela pediu que eu fizesse uma breve avaliação do aconselhamento. Fiz uma comp, como podem perceber, termina aqui esta parte da minha história, há outras coisas que quero contar, tipo, minha família, até este momento relatado acima, não sabe sobre minha homossexualidade num processo natural eu lhes constei, mas isso é assunto para outra postagem.




            Registro aqui o meu grande agradecimento e carinho a todos que me acompanharam neste percurso, todo o carinho e incentivo que recebi de todos, vocês se tornaram muito queridos para mim!

            Espero que estas palavras, não inventadas, mas contadas de alguém que viveu cada uma destas vírgulas, que passou por cada um destes pontos, possa servir de iluminação, não para que alguém possa copiá-las, mas poça encontrar coragem e a força necessária para enfrentar este mundo que por vezes nos amedronta e faz com que nos escondamos, que sintamos vergonha do que somos!


            Um imenso abraço a todos!

http://recantodasletras.uol.com.br/autores/wgaspar

domingo, 26 de setembro de 2010

Minha História (Capítulo 18)

A Sociedade ainda não está PREPARADA!

15 de julho de 2004



            Irmão Elizabete começou perguntando-me sobre minha irmã, como ela estava, se eu havia conseguido conversar com ela, disse que estava muito preocupado com ela, havia tentado conversar sim com ela, mas ela estava como que trancada, não aceitava, e num breve momento que consegui que ela dissesse algo, não foi muita animador, ela disse ao ter vontade de fazer nada, de sair, passear, ir a alguma festa com amigos da escola, cantar, pintar, nada, disse que não sentia vontade de fazer nada, daí concluí porque ela sempre passava tanto tempo arrumando a casa todos os dias ao chegar da escola. Irmã Elizabete comentou que ela ainda precisa encontrar o caminho dela e que em alguns momentos, por mais que queiramos, não há como ajudar, o ajudar é não ajudar, para que a própria pessoa possa encontrar seu caminho, caminhar com as próprias pernas, questionar a si próprio.
            Daí voltei a ser o foco, falei sobre mim, sobre meus planos para o futuro, que penso em fazer uma faculdade, de filosofia talvez, sou apaixonado pelo saber, pelo conhecimento e este curso me parece mito interessante, me especializar na área, talvez montar uma ONG em apoio aos homossexuais pois as passeatas que acontecem hoje não ajudam muito no que diz respeito a conscientização, constantemente ouso frases do tipo “olha lá o carnaval das bichas”, e isso espanta até mesmo muitos gays que se encontram no estágio de amadurecimento que eu me encontrava quando comecei este trabalho, confuso, com vergonha, medo, sem ajuda!
            Irmã Elizabete concordou com minha opinião e disse que neste estágio do acompanhamento é muito bom ter planos, idéias, sonhos para o futuro que nos dão força e nos fazem atingir nossos objetivos.
            Depois lhe fiz uma pergunta, uma pergunta um tanto longa, disse que, no ano anterior, ainda no seminário, quando estudamos um texto sobre a homossexualidade, com Padre Pedro, lhe perguntaram se o gay pode ou não comungar, a que ele respondeu que deveria comungar apenas aqueles que vivem só, pois a igreja aconselha a estas pessoas viver a castidade.
            Então perguntei a Irmã Elizabete o porque disso visto que, quando um heterossexual sente uma vontade muito grande de morar junto, ter uma pessoa ao lado para abraçar, sorrir, conversar, dividir a vida, ela se casa, quando uma pessoa se sente chamada ao sacerdócio, vai para o seminário, se quer ser médico, cursa medicina, no fundo, tudo é para satisfazer um desejo, as vezes desejo que não sabemos explicar com palavras, mas é para satisfazer um desejo, para se realizar, então, se somos todos humanos transbordando em vontades e desejos, porque um homossexual não poderia comungar ao tentar ser feliz como qualquer outra pessoa, afinal, todas as pessoas tem direito de realizar seus desejos, ai vão me dizer a famosa e célebre fazer, “mas não devemos ser escravos de nossos desejos”, à qual retruco perguntando, mas todos os héteros não o são quando se casam? Quando escolhem medicina ao invés de pedagogia? Direito e não matemática? O sacerdócio ao invés de uma carreira profissional tradicional? Ai dirão, mas sacerdócio é uma vocação dada por Deus, sim, concordo, e quem disse que as outras não são? Da mesma forma que apenas alguns são chamados ao sacerdócio, com exceção daqueles movidos pela ganância, também apenas alguns são chamados à medicina, ao direito, à psicologia, e assim por diante, no fundo tudo por causa de um grande desejo ao qual não se sabe explicar, ai o chamam de vocação, e ai, o que fazer?
            Toda a resposta de Irmã Elizabete pode ser resumida em apenas uma frase, disse que concorda, que não somos culpados por isso e muito menos obrigados a viver sozinhos a vida toda, mas o maior problema é que a sociedade ainda não está preparada para algo deste tipo.
            Ao que retruquei:
            -A igreja tem medo de aceitar estas pessoas e perder muitos fiéis, mas também tem medo de tocar no assunto por algum motivo.



HOJE:
            É claro que compreendo o que Irmã Elizabete quis dizer ao afirmar que a sociedade não está preparada, mas..., como eu não perco uma oportunidade de criticar a sociedade, seus padrões hipócritas, sua hipocrisia e falsidade, aqui vou eu do novo.
            Saiamos da inércia e coloquemos nossos neurônios para funcionar por um instante, pensemos um pouco:
·        A sociedade estava preparada para ter o cristianismo como religião oficial do império no ano 303 dada por Constantino I (ou Flavius Valerius Constantinus, imperador romano) reprimindo e perseguindo com morte as demais denominações religiosas da época?
·        A sociedade estava preparada para, por volta do ano 400 d.c. ver uma brilhante matemática e astrônoma de nome Hipácia (Hipátia) ser esquartejada em praça pública e a biblioteca de Alexandria, a qual foi a última zeladora, ser destruída e incendiada por Cirio e seus seguidores cristãos, hoje conhecido como São Cirilo, santo e doutor da igreja?
·        A sociedade estava preparada para a Santa Inquisição da idade média a qual despensa qualquer comentário?
·        A sociedade estava preparada para tantas guerras já acontecidas, em especial a 1° e a 2° grande guerras mundiais e a última forjada pelos Estados Unidos em busca do controle do petróleo? Para uma visão mais geral de todas as guerras já acontecidas, ver final do post.
·        A sociedade estava preparada para ver uma dissidência INTERNA nos Estados Unidos resultar no 11 de setembro, que já havia sido tentado na detonação de um caminhão de explosivos 10 anos antes no estacionamento do mesmo edifício?
·        A sociedade estava preparada para receber Adolf Hitler (Alemanha 1933-1945), Benito Mussolini (Itália 1922-1945),  Augusto Pinochet (Chile 1973-1990) e tantos outros?
·        A sociedade estava preparada para as ditaduras militares, inclusive no Brasil?
·        A sociedade estava preparada para ver as milhares de crianças mortas e famintas que todas estas guerras e ditaduras geraram?

Mas não estão preparados para verem dois homens ou duas mulheres se beijarem, adotarem um filho sem lar, montarem uma família, terem uma relação estável. A sociedade, em meio a uma cultura de guerra, não está preparada para o amor!

Histórico dos momentos em que a falta de razão dominou o ser humano, e este não foi capaz de dialogar:

Grécia Antiga
1250 - 1240 a.C.: Guerra de Tróia
499 - 479 a.C.: Guerras Médicas
431 - 404 a.C.: Guerra do Peloponeso
334 - 323 a.C.: Campanhas de Alexandre, o Grande

Roma Antiga
343 - 290 a.C.: Guerras Samnitas contra Samnium
264 - 146 a.C.: Guerras Púnicas contra Cartago
264 - 241 a.C.: Primeira Guerra Púnica
218 - 202 a.C.: Segunda Guerra Púnica
149 - 146 a.C.: Terceira Guerra Púnica
215 - 168: Guerras Macedónicas
91 - 88 a.C.: Guerra Social contra os aliados latinos
82 - 81 a.C.: Guerra civil de Sulla
58 - 50 a.C.: Guerras da Gália, conquista da Gália por Júlio César
49 - 45 a.C.: Guerra civil de Júlio César
43: Invasão romana das ilhas britânicas
220 - 265: Guerra dos Três Reinos na China
291 - 306: Guerra dos Oito Príncipes na China

Idade Média e Renascimento
711 - 718: Conquista árabe da Espanha
1066: Conquista Normanda de Inglaterra
1096 - 1291: Cruzadas
1096 - 1099: Primeira Cruzada
1147 - 1149: Segunda Cruzada
1187 - 1191: Terceira Cruzada
1202 - 1204: Quarta Cruzada
1209 - 1229: Cruzada contra os Cátaros
1217 - 1221: Quinta Cruzada
1228: Sexta Cruzada
1248 - 1254: Sétima Cruzada
1270: Oitava Cruzada
1271 - 1291: Nona Cruzada
1236 - 1237: Invasão Mongol da Bulgária do Volga
1223 - 1240: Invasão Mongol da Rússia
1241: Invasão mongol da Europa
1262 - 1267: Guerra Berke-Hulagu
1139 - 1153: A Anarquia, guerra civil inglesa
1152 - 1453: Guerra da Barba
1296 – 1328 / 1332 – 1333: Guerra da Independência Escocesa
1296 - 1328: Primeira Guerra da Independência Escocesa
1332 - 1333: Segunda Guerra da Independência Escocesa
1337 - 1453: Guerra dos Cem Anos
1341 - 1364: Guerra da Sucessão da Bretanha
1385 - 1399: Guerra Tokhtamysh-Tamerlão
1420 - 1436: Guerras Hussitas
1454 - 1466: Guerra dos Treze Anos, entre a Polónia e os Cavaleiros Teutônicos
1455 - 1485: Guerra das Duas Rosas

Séculos XVI a Século XIX
1521 - 1523: Guerra da Libertação da Suécia
1562 - 1598: Guerras da Religião em França ou Guerras Huguenotes
1568 - 1648: Guerra dos Oitenta Anos (independência da Holanda)
1588 - 1654: Guerra Luso-Neerlandesa
1618 - 1648: Guerra dos Trinta Anos
1639 - 1652: Guerra Civil Inglesa (Oliver Cromwell)
1648 - 1653: Fronda em França
1648 - 1654: Rebelião de Chmielnicki
1654 - 1656: Guerra Russo-Polaca
1655 - 1656: Guerra Sueco-Brandenburg
1655 - 1660: Guerra Sueco-Polaca
1656 - 1658: Guerra Russo-Sueca
1656 - 1660: Guerra Sueco-Dinamarquesa
1657 - 1660: Guerra Sueco-Holandesa
1658 - 1667: Guerra Russo-Polaca
1701 - 1714: Guerra da Sucessão Espanhola
1733 - 1738: Guerra de Sucessão da Polônia
1740 - 1748: Guerra da Sucessão da Áustria
1754 - 1777: Guerras Guaraníticas
1756 - 1763: Guerra dos Sete Anos
1775 - 1783: Guerra da Independência dos Estados Unidos
1803 - 1815: Guerras Napoleónicas
1807 - 1814: Guerra Peninsular
1809 - 1825: Guerra da Independência da Bolívia
1810 - 1816: Guerra da Independência da Argentina
1810 - 1821: Guerra da Independência do México
1817 - 1818: Guerra da Independência do Chile
1822 - 1823: Guerra da Independência do Brasil
1825 - 1828: Guerra da Cisplatina
1828 – 1834: Guerras Liberais em Portugal
1835 - 1845: Guerra dos Farrapos
1839 - 1860: Guerras do ópio
1839 - 1842: Primeira Guerra do Ópio;
1856 - 1860: Segunda Guerra do Ópio
1848 - 1866: Guerras de Unificação da Itália
1848 - 1849: Primeira Guerra de Independência Italiana
1859: Segunda Guerra de Independência Italiana ou Guerra Franco-Austríaca ou de Guerra Austro-Piemontesa
1866: Terceira Guerra de Independência Italiana (Também chamada de Guerra das Sete Semanas, Guerra Austro-prussiana ou Guerra Civil Alemã).
1851 - 1852: Guerra contra Oribe e Rosas
1853 - 1856: Guerra da Criméia
1861 - 1865: Guerra Civil Americana ou Guerra de Secessão
1864: Guerra contra Aguirre
1864 - 1870: Guerra da Tríplice Aliança ou Guerra do Paraguai
1868 - 1869 : Guerra Boshin
1870 - 1871: Guerra franco-prussiana
1879: Guerra Anglo-Zulu
1879: 1881: Guerra do Pacífico ou do Salitre
1880 - 1881: Primeira Guerra dos Bôeres
1894 - 1895: Guerra Sino-Japonesa
1899 - 1902: Segunda Guerra dos Bôeres na África do Sul
1900 - 1901: Guerra dos Boxers na China

Século XX
1904 - 1905: Guerra Russo-Japonesa
1912 - 1913: Guerra dos Bálcãs
1914 - 1918: Primeira Guerra Mundial
1918 - 1922: Guerra Civil Russa
1932 - 1935: Guerra do Chaco
1936 - 1939: Guerra Civil Espanhola
1939 - 1945: Segunda Guerra Mundial
1940 - 1989: Guerra Fria
1946 - 1954: Primeira Guerra da Indochina
1947: Guerra Indo-Paquistanesa ou I Guerra Caxemira
1964 - 2005: Guerra Civil na Colômbia
1965: Guerra Indo-Paquistanesa ou II Guerra Caxemira
1950 - 1953: Guerra da Coréia
1954 - 1962: Guerra da Argélia
1961 - 1975: Guerras Coloniais
1961 - 1975: Em Angola:Guerra da Libertação de Angola
1964 - 1975: Em Moçambique: Luta Armada de Libertação Nacional
1964 - 1973: Guerra do Vietname
1966 - 1988: Guerra da Independência da Namíbia
1967 - 1967: Guerra dos Seis Dias
1969: Guerra do futebol (Honduras contra El Salvador);
1971: Guerra de Bangladesch
1973 - 1973: Guerra do Yom Kippur
1975 - 1998: Guerra da Independência de Timor
1979 - 1989: Ocupação soviética do Afeganistão
1980 - 1988: Guerra Irã-Iraque
1982 - 1982: Guerra das Malvinas (Falklands)
1990 - 1991: Guerra do Golfo
1991 - 2001: Guerra dos Balcãs (Guerras da ex-Iugoslávia)
1994 - 1997: I Guerra da Chechênia
1996 - 1997: Guerra Civil do Zaire
1999 : II Guerra da Chechênia

Século XXI
2001 - 2002: Invasão do Afeganistão
2003 - Guerra do Iraque
2006 - 2006: Ofensiva militar de Israel no Líbano

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Deu Uma Louca na Bicha!


            Olá meus queridos, como estou com saudade, nossa, vocês nem imaginam a correria que está aqui! Como havia mencionado no último post, tenho um bafão pra contar para vocês, bem, talvez bafão seja demais, talvez para alguns de vocês seja algo bem simples e corriqueiro, parte da vida, mas não para mim, alguém que se negou por 18 anos, alguém timidasso (isso existi?).
            Bem, tudo começou a mais ou menos uns 2 meses atrás quando minha mãe, ao me visitar, disse que eu estava magrinho demais, rsrsrs, imagine só, que eu tinha que entrar numa academia, bem..., depois dessa!
            Assim fiz, (e quero ficar bonitão, será que consigo?), olha, até eu mesmo estou assustado com o que estou comendo, credo! Mas o fato é, já nas primeiras semanas comecei a conhecer o território onde estava me enfiando, tudo bem que enfiar não é comigo né! Mas as vezes todos temos de fazer, rsrsrs. Logo já comecei a marcar os rostinhos, umas olhadelas as vezes não arranca pedaço, minha sorte que não tem muitos gatos na hora em eu costumo malhar, nossa, não há nada que me desconcentre mais!
            No entanto, e como sempre tem de ter um no entanto, há um que ..., melhor omitir esta parte, resumindo, está me tirando o sono, o cara é uma pintura, nunca gostei de barba e continuo não gostando, mas a dele, vixixixi, sempre bem feitinha, baixinha, cheinha, castanho claro, aiai.
            Depois de alguns dias, depois de algumas olhadelas, comecei a observar que o comportamento dele era bem semelhante ao meu, digo, ele sempre ficava na dele, calado, concentrado, aparentemente tímido, ai vocês já sabem né, nosso cérebro faz isso que é uma beleza, já comecei a enxergar coisas:
            -Será que ele é gay?
            -E se não for, aiai que desperdício.
            Bem, o fato é que por algumas vezes nossos olhares começaram a se encontrar, hummm, isso não vai prestar! E agora, será que ele está demonstrando algum interesse ou está incomodado? Aaaa, mas eu não fui tão descarado assim!
            E continuou assim por algumas semanas, as vezes ele vinha fazer algum exercício perto de mim, eu torcendo pra ele puxar assunto, seria a prova que eu precisava, mas ele nunca fez isso, eu então, mais fácil fazer o que fazem os avestruzes (enfiar a cabeça num buraco) que chegar em alguém!
            Certo dia ele estava do outro lado do salão da academia, eu termino minha série, e olho para o lado, adivinha, ele estava olhando para mim, a duas semanas atrás, ele termina a série dele, sai de onde ele estava em direção ao bebedouro, detalha, para isso passa na minha frente, ao passar olha em meus olhos, credo, eu quase caí claro.
            -Não é possível, depois dessa, ele deve ser gay. Que incomodo seria este?
            As coisas foram esquentando, na segunda-feira da semana passada, terminamos no mesmo horário pela primeira vez, ele sai e alguns metros atrás eu torcendo para ele olhar para trás ou falar algo, nada, ele desceu as escadas, e foi, confesso que quase fiquei olhando-o virar a esquina rsrsrs.
            Na terça-feira, quando cheguei à academia, ele não estava lá, fiz meu alongamento, os 15 minutinhos de esteira, neste momento ele chegou, meu deus, aquela coisa se alongando a 4 metros na minha frente, e braço para cima, braço para traz, levanta a perna, estica, dedos da mão na ponta do tênis, olha não vá ler errado, é tênis! Me concentrei novamente, bem... tentei, e fui fazer minha série de exercícios, terminei e fui fazer o alongamento para voltar para casa, adivinha quem foi se alongar também? Pois é, será que ele estava precisando de ajuda?
            Foi como se ele estivesse marcando o tempo, a hora que eu me levantei para sair, ele saiu na minha frente, aí, essa mente maldita entrou em trabalho:
            -Ai ai, hoje tem, será que apanho? Se não for no olho ta de bom tamanho!
            Bem, saí bem atrás dele, o que eu podia fazer?
            Tive a impressão, e ai não confirmo, que ao começar a descer as escadas ele olhou para traz, mas como nestas horas vemos de tudo, não sei até onde isso foi verdade, sei apenas que desci logo atrás dele, no meio da escada estávamos sozinhos, ninguém por perto, a língua coçou de vontade falar algo mas do jeito que sou desastrado pra cantadas, sei lá, vai que sai algo do tipo “ta quente hoje né!”, é melhor ficar quieto, descemos, ele parou aguardando um carro passar, nesta hora a língua chegou a balbuciar palavrinhas em minha boca, quase saiu, mas o carro passou e ele atravessou.
            Imaginem os palavrões mais feios que vocês podem imaginar, pois é, me chamei de todos eles nesta terça-feira:
            -Seu idiota, cach..., veado medroso, as..., d..., de..., pu..., o que poderia acontecer? Você ouvir um sim caso você perguntasse se ele era gay ou tomar uma porrada! Medroso.
            Olha, fiquei possuído nesse dia, irreconhecível, jurei pra mim mesmo que o próximo dia em que saíssemos juntos eu ia falar algo, nem que fosse “ ta quente hoje né!”.
            Na quarta-feira eu tenho aula pela manhã, então vou a academia a noite, ai já sabia que não iria vê-lo, na quinta fui no horário normal, de manhã, ai foi ele que não apareceu, e eu já não estava agüentando mais, não por não saber se ele era ou não, mas por essa falta de coragem desgraçada.
            Na sexta-feira, cheguei e fui fazer o alongamento, ele chegou em seguida, gelei na hora claro, tentei me manter normal, fiz os exercícios e fui me alongar para sair, ele também foi, neste momento acho que nem o sol brilha tanto quanto meus olhos brilharam, é hoje pensei, hoje eu apanho de verdade! Fiquei observando ele e, quando vi que ele estava terminando fui, saí na frente dele, passei na roleta e ao começar a descer as escadas olhei para traz, um dos instrutores o havia abordado no meio do caminho. Ai invoquei todos os demônios do inferno, claro, tantos dias pra conversar, tantos momentos diferentes, vai ser naquela hora, justo naquele momento? Ninguém merece.
            Terminei de descer as escadas cuspindo fogo pelas ventas, estava emputecido..., a hora que desci o último degrau, parei:
            -Eu não vou embora! Ele já está saindo, eu vou esperá-lo aqui.
            Não demorou nem um minuto, e ele desceu, estávamos de frente para a rua, carros, barulho, ninguém prestando atenção, virei-me em direção a ele e disse:
            -Queria te fazer uma pergunta. Claro que não foi fácil assim, por pouco não saí correndo.
            -Pois não. Foi a resposta que ouvi num tom bem firme, ai pensei como era ruim não ter um plano hospitalar, mas, como quem está na chuva é para se molhar, agora é ir até o fim.
            Tudo foi tão rápido, ele olhava para frente, tentei, gaguejando alguma coisa, continuar:
            -É..., eu..., eu não sei se você percebeu (claro que ele já havia percebido), mas eu tenho olhado para você algumas vezes e..., eu..., eu gostaria de saber se é recíproco ou não.
            Meu deus que alívio depois que terminei a frase, parecia que eu estava com 100 quilos nas costas.
            Ele abaixou a cabeça, deu aquele sorriso que só ele tem e disse:
            -Não..., não é. Disse de forma bem calma, fiquei surpreso, olha, se tivesse meu plano nem precisaria dele, rsrsrs.
            Eu, apenas balbuciei um ok e fui saindo, no entanto, acho que devo ter mudado tanto de cor, roxo, azul, amarelo, rosa chiclete, que devo tê-lo assustado, quando já ia saindo, ele continuou:
            -Mas faço o mesmo curso que você. Você faz ciência da computação né?
            -Sim, faço, onde você faz? Nem acredito que consegui dizer isto!
            -Na verdade acabei de me formar, fiz na UFES (Universidade federal do Espírito Santo).
            -Legal. Foi o que saiu, parece que eu já havia gasto minha cota de palavras daquele dia. Ai ele se despediu.
            -Falou, até mais.
            Mais um pouco e eu ia para casa virando cambalhotas e plantando bananeiras, mesmo ele tendo dito não, vocês meus caros amigos blogueiros leitores não fazem idéia da felicidade que eu estava sentindo, por ter vencido, ter me vencido, ter vencido mais um de meus tantos medos.
            Olha, foi mesmo loucura, quando me lembro disso começo a rir sozinho.
            Depois disso acho que eu o assustei, esta semana não temos nos encontrado não, exceto por ontem (terça-feira) que, ele chegou quando eu já estava me alongando para ir para casa, ai nem deu pra trocarmos olhares, estávamos distantes, bem, o tempo é o melhor conselheiro para algumas coisas, e eu como bom discípulo do amor (aquele que insiste em não enxergar a verdade) ainda estou com a pulga atrás da orelha, pra falar a verdade um zoológico inteiro, estou me perguntando, porque ele me diria que fazemos o mesmo curso?

sábado, 18 de setembro de 2010

Minha História (Capítulo 17)

A Alegria de Um AMOR!

025 de junho de 2004
fotos google

            Estava super animado para este encontro e, como já esperava, foi um encontro maravilhoso.

            - Como estás? Começou Irmã Elizabete, cuja resposta foi simples e direta:

            - Muito bem, muito alegre, feliz comigo mesmo, é como se realmente agora eu estivesse conseguindo me aceitar como homossexual, é uma sensação maravilhosa de bem estar, de pás, de tranqüilidade que já duram por quase um mês, isso é incrível.

            Neste momento, a alegria foi tamanha, a emoção tão forte, que quase chorei, meus olhos se encheram de lágrimas, vendo isso, esta experiência maravilhosa que eu estava passando, Irmã Elizabete também se emocionou, quase chorou, ficou com os olhos todos brilhantes.

            - E porque isso te emociona tanto? Ela prosseguiu.

Ao que respondi:

            - É maravilhosa esta sensação de bem estar, de paz, de ser amado, sensação que nunca havia sentido até então. Até algum tempo atrás, eu me preocupava muito com a opinião dos outros, com meu cabelo, se estava bem penteado (isso, é claro, se cabelo rebelde fica bem penteado rsrsrs), com a roupa que estava usando, os movimentos que fazia, hoje? Pouco me importa o que pensam, o que pensam da roupa que uso, dos movimentos que faço, do meu timbre de vós, digo com a maior certeza do mundo que não há nada melhor que ser eu mesmo, seja onde for, com quem for, eu sou assim e não é por causa dos outros que vou me esconder ou me odiar.

            Ela me explicou que existem nos seres humanos alguma características como a sensibilidade, o cuidado, o amor, o carinho, que aparecem cm maior acentuação nas mulheres, mas também os homens possuem uma pitada estas qualidades, e outras como tomada de decisão, autoritarismo, sentir-se chefe, objetivo, que aparecem com maior acentuação nos homens, no entanto, também as mulheres possuem um leve e delicado toque destas características, ou seja, cada ser humano, homem ou mulher, é uma mistura de todas estas qualidades que, por determinação da natureza, em alguns se desenvolvem mais umas, em outros, outras.
            Num segundo momento da conversa, conversamos um pouco sobre minha família, pois algumas semanas antes, Irmã Elizabete havia no feito uma visita. Disse que gostou muito, se divertiu bastante e perguntou-me como estava meu relacionamento com eles:

            - Bem, com minha mãe, tudo muito bem, ela está um pouco preocupada comigo, mas nada muito sério, só quer o meu bem. Com meu irmão, desde que comecei este trabalho, notei muita diferença, ele está menos machista, mais acessível e tolerante, está mais interessado até na beleza das plantas da casa que cuido com tanto zelo e até já pintou um pequeno quadro em uma de suas camisetas com a tinta de tecido que eu estava usando. O que estava sendo mais complicado para mim, é em relação a minha irmã, eu a vejo como se ela estivesse passando por uma grande dor, ela tem 17 anos, chega do colégio, faz o serviço da casa e fica sempre no canto dela, não fala nada, não fala besteiras, todos falam besteiras uma hora ou outra, praticamente não sorri, é como se ela estivesse fechada para o mundo, e quando perguntamos se está bem, se está acontecendo algo, ela apenas responde que está tudo bem.

            Irmã Elizabete disse que durante o final de semana que esteve com minha família, realmente achou ela muito calada, meio arredia, comentou que, pelo que conhece sobre meu pai, ela é a mais parecida com ela. De fato concordei, afinal, quando meu pai estava bem ela era bem calado, se tinha algo o perturbando, era mais calado ainda.

            Conversamos mais um pouco sobre o assunto e encerramos o encontro, continuaríamos na próxima quinzena.

           

            Meus queridos amigos blogueiros, como os admiro, por quem são, mas principalmente por terem me aturado este tempo todo! rsrsrs. Mas falta pouco, minha história já está chegando ao fim. Não claro que não, jamais abandonarei vocês meus queridos, continuarei com o blog, como aprendi aqui, meu deus! Apenas será com postagens diferentes, do dia-a-dia. Falando em dia-a-dia, tenho um bafão (rsrsrs) pra contar para vocês, mas para não estender, deixa para outro dia, dá um post completo! Beijos.

quinta-feira, 16 de setembro de 2010

Ternura e Intimidade entre os 10 mais votados no Blogbooks em sua categoria

IIIIIIUUUUUUUUPPPPPPPPP..........................................!


glitters


Meus queridos amigos leitores, é com imensa satisfação que venho agradecer o carinho, a dedicação, e o incentivo de todos vocês e comunicar que o Ternura e Intimidade está entre os 10 blogs mais votados em sua categoria no concurso Blogbooks.

Um grande beijo no coração de todos e mais uma vez o meu muito obrigado pelo carinho e pelos votos recebidos.


Agora vamos aguardar o resultado final previsto para o dia 24 deste mês!

IIIIIIUUUUUPIPIPIPIPIP.....................!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
Related Posts with Thumbnails